quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Panorama - Zodíaco




Se existe um filme que foi mal vendido pelo estúdio e, consequentemente, mal compreendido pelo público, Zodíaco é este filme. O impacto de Seven foi tão grande na carreira de Fincher que o próprio hesitara em assumir a direção do filme que conta a história do assassino serial que impressionou a América no alvorecer da década de 70. Mas o roteiro de James Vanderbilt, baseado no livro de Robert Graysmith, encantou Fincher. Menos pelo interesse na figura do assassino, conhecido como zodíaco, e mais pela análise microscópica que proporcionava do impacto causado pelo caso em três personagens.
O filme é anticlimático no sentido de que é, claramente, dividido em atos que - superficialmente - não são correspondentes. Fincher acompanha o envolvimento de três personagens com o caso do zodíaco. O primeiro deles, e fio condutor da narrativa, é Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), o cartunista do San Francisco Chronicle que escreveu o livro no qual o filme se baseia. O repórter investigativo Paul Avery (Robert Downey Jr.) e o policial durão que inspirou a criação do Dirty Harry de Clint Eastwood, David Toschi (Mark Rufallo) têm a atenção do roteiro em recortes narrativos que agregam ao comentário de Fincher e não aos seus ciclos dramáticos. O que dá liga a narrativa é o elaborado estudo sobre os meandros da obsessão. Fincher estipula com seu filme que a identidade do zodíaco em si não era tão importante quanto a mobilização para elucidar o mistério.
Zodíaco foi recebido como um filme de serial killer pelo público. Sob esse prima, invariavelmente, o filme decepciona; pois não guarda semelhanças com o estilo desenvolvido por Fincher em Seven. O apego à memória daquele filme é prejudicial, portanto, para a correta apreciação da fita. Zodíaco é, sim, em seu entorno narrativo, uma ode ao jornalismo investigativo americano que passa maus bocados na esteira da era Bush.

9 comentários:

  1. É outro grande trabalho de Fincher, que coordena com talento a grande quantidade de personagens e informações. Mesmo contando uma história que todos já sabem o final, ele consegue manter a atenção do início ao fim.

    Até mais

    ResponderExcluir
  2. Para mim, "Zodíaco" não é um dos melhores momentos do Fincher como diretor. Apesar da temática interessante, acho que o filme tem alguns problemas em sua estrutura narrativa.

    ResponderExcluir
  3. Mesmo que eu não goste do Downey Jr. eu até gosto desse filme. E o Fincher sabe conduzir qualquer tipo de história e enredo.

    ResponderExcluir
  4. Hugo: Talvez um dos melhores trabalhos de direção de Fincher seja aqui. Ele passa exatamente o que quer passar. O problema é que muita gente esperava coisa diferente... abs

    Kamila: Discordo veementemente de vc aqui Ka. Para mim, poucas vezes, um diretor teve tanto domínio da narrativa de um filme como Fincher tem em Zodíaco. É um trabalho vistoso dentro do que se propõe. Bjs

    Luis Galvão: Vc ainda não gosta de Downey Jr.? rsrs
    Abs

    ResponderExcluir
  5. Bacana, Reinaldo.

    Tenho muita curiosidade em revê-lo.

    Na 1ª e única vez em que o vi, foi com minha irmã. Lembro que fiquei desnorteado com a subida do letreiro, mais ainda quando resolvo mirar a cara de minha irmã caçula. Pobre irmão caçula de cinéfilo, já nasce fadado a tornar-se um adulto precoce...

    :(
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Cássio: rsrs. Pois é, irmã de cinéfilo sofre...rsrs
    abs meu caro!

    ResponderExcluir
  7. Harlei Cursino Vieira2 de março de 2011 23:50

    Gostei do filme!

    ResponderExcluir